:: Introdução ::

A placa de vídeo é uma das partes mais importantes do computador. No passado, as placas de vídeo não eram tão importantes porque os gráficos eram relativamente simples. Agora com o advento dos games em 3D, e com softwares que necessitam de milhões de cores para serem eficientes, placas de vídeo com boa performance são essenciais para a operação dos computadores.

Resoluções

Se olharmos o monitor ligado bem de perto,veremos milhares de pequenos pontos acesos. Esses pontos são chamados de pixels. A resolução é o número de pixels na horizontal versus o número de pixels na vertical. A maioria dos computadores rodam na resolução de 1024 por 768 pixels
(geralmente escritos como 1024x
768). Aumentando o número de pixels, a qualidade da imagem cresce muito, isso porque quanto mais pixelsmais detalhes podem ser mostrados.

Cada pixel pode ter uma cor diferente, e com isso a placa de vídeo quando muda a cor de cada pixel pode desenhar imagens complexas. Nos computadores de hoje em dia, é possível que um pixel consiga mudar para 32 milhões de cores diferentes. O número de cores que um pixel consegue mostrar é chamado de color depth. Os color depths mais comuns são 16, 256, 16 milhões e 32 milhões de cores.



:: Como funciona? ::

A placa de vídeo é como um pequeno computador com sua própria memória, processador e BIOS. As placas mais antigas não tinham seus próprios processadores ou memória, e isso era normal porque os gráficos eram realmente simples. Os gráficos de hoje em dia são muito realísticos e necessitam de muita performance do hardware. Se o processador do computador e a memória fossem responsáveis pelos gráficos e por tudo se passa no computador a performance seria horrível. Tendo um processador e uma memória na placa de vídeo, dedicada totalmente para vídeo, é melhor porque o processador da máquina e a memória pode trabalhar em outros cálculos. Normalmente o CPU recebe todas as instruções do software e então passa para o processador da placa de vídeo tudo relacionado a gráficos. Uma vez que o processador termina os cálculos, ele manda a imagem para a memória onde a informação está guardada e manda para a interface vídeo. Quando já está na interface de vídeo, a informação é convertida em um sinal que o monitor pode entender. E então a informação aparece na tela do computador.

Nota: O número de vezes que a placa de vídeo manda informação para o monitor é chamado de Frame Rate e pode ser diferente dependendo da complexidade da imagem.


:: História das placas aceleradoras ::

Clique para maximizar   Quando a 3dfx lançou a sua primeira placa em outubro de 1996, o mundo dos computadores se abalou, era uma nova tecnologia que iria mudar drasticamente o modo de ser fazer placas de vídeo e computadores. O nome da placa era Voodoo. Essa nova placa de vídeo abriu as
portas para os que desenvolviam games no mundo
, acelerando os gráficos em 3d como nunca havia se visto. A Voodoo não era apenas usada para jogos 3d, ela também servia para jogar jogos 2d. Alguns meses depois uma nova placa foi lançada, a Voodoo Rush, que combinava funções 3d e 2d em apenas uma placa. Mas isso fazia com que ela rodasse muito lentamente se comparada com a Voodoo. Foi essa combinação de 3d com 2d que fez com que a comunidade taxassem a Voodoo Rush como um fracasso total.
Como em toda corrida precisa-se ter competidores. ATI e a NVIDIA logo entraram nessa corrida um pouco depois que a 3dfx lançou sua primeira placa. A ATI tinha a linha Rage, e a NVIDIA fabricou a Riva 128. Mas com o tempo a gigante 3dfx foi retirada dessa corrida por essas duas grandes fabricantes de placas aceleradoras. Mas antes de “morrer” a 3dfx lançou  
algumas placas clássicas como a Voodoo2 em março de 1998. Era de longe a melhor placa já lançada com 90Mhz de clock e 12 mega de vídeo. A Voodoo 2 tinha capacidade de produzir resoluções de 1024 x 768. Logo depois lançaram a Voodoo Banshee que como a Vooodoo Rush foi um fracasso.
  Em março de 1999, a 3dfx lançou a Voodoo3. Dessa vez, ela tinha vários modelos diferentes para cada tipo de consumidor (Parece familiar como nos dias de hoje?). A Voodoo3 2000 era a mais simples das Voodoo3, não que seja ruim mas era para pessoas que não necessitavam de grande performance nos gráficos 3d. tinha velocidade de 143MHz. Outro lançamento era a Voodoo3 3000, que oferecia uma velocidade de clock
e 166Mhz. E no topo estava a Voodoo3 3500, que tinha
saída de TV,(podendo assim ligar na Televisão) e uma velocidade de clock de 183MHz. Todas essas placas eram oferecidas em versões PCI ou AGP.
Essa corrida entre empresas fez com que mais e mais placas boas saíssem no mercado e tornando tudo isso gigantesco e mais acessível para todos. A NVIDIA lançou uma placa no mesmo tempo que a 3dfx havia lançado a Voodoo3, e chamava-se TNT 2. A TNT2 era a sucessora da TNT, a número 2 saltou de 8 milhões de transistores para 10.5 milhões, um grande salto complexidade. E também suportava 32-bit de vídeo (32   Clique para maximizar
milhões de cores). A Voodoo3 não era tão inferior, mas a TNT2 tinha bem mais qualidade visual, então as pessoas começaram a ver a competitividade entre as marcas. Isso ainda não havia matado a 3dfx, mas deixou eles sabendo que se não lançassem algo novo e bom em breve poderiam perder o reinado. ATI, uma das mais brilhantes (para não dizer sortudas) das 3 companhias foi capaz de sentar no e assistir de camarote a batalha entre NVIDIA e a 3dfx. A ATI continuou lançando novas placas – não eram espetaculares, mas isso não quer dizer que eram horríveis. Essas placas fizeram que ainda continuassem na corrida. A estratégia da ATI era esperar a hora certa para estourar, e isso não demorou muito para acontecer.
Clique para maximizar   Em outubro de 1999, NVIDIA deu o golpe fatal na a 3dfx com o lançamento da Geforce 256. A 3dfx não tinha nenhum lançamento previsto que poderia combater a nova placa da NVIDIA de imediato, e com isso foi um golpe praticamente fatal. A revolucionaria Geforce 256 inovou mais uma vez, com 120Mhz, Suporte a DDR RAM. A 3dfx tinha duas placas que eram até melhores que a Geforce 256, o problema foi que lançaram elas atrasadas, a Voodoo4 e 5, alguns faná-
ticos pela 3dfx gostaram, só que o resto do mercado acharam ultrapassadas para época que foram lançadas. A partir daí a estratégia de fazer placas novas se resumiu em aumentar mais GPUs nos modelos novos. Com isso as placas se tornavam muito maiores e muito mais caras. A Voodoo 5 foi o último lançamento da 3dfx, na verdade era a Voodoo 5 6000, que mal foi lançada, e foi uma das maiores placas aceleradoras já criadas, com 4 GPU’s gigantes, e 128 MB de memória. Essa placa foi mais usadas por pessoas que desenvolviam games e arte em 3d, não foi muito para o mercado normal.
Não precisamos dizer, que a 3dfx foi derrotada quando lançou a Voodoo5 6000 e assim ficando fora da corrida que segue até hoje no mundo das placas aceleradoras. Mas eles ainda tinham uma carta na manga chamada Rampage. Rampage era um maravilhoso chipset que poderia levar a 3dfx continuar na corrida, mas essa tecnologia foi vendida para NVIDIA em dezembro de 2000. Isso significava que a NVIDIA tinha em suas mãos o projeto da Rampage, e existem rumores que a tecnologia Rampage foi usada na sua NV30 (Geforce FX).
A ATI ainda estava tentando “correr” nessa competição, e lançou uma placa chamada Rage Fury MAXX. Como as placas 3dfx daquela época ela usava múltiplos GPUs. Usando dois processadores Rage Pro na paralela, a placa na época tinha um preço muito salgado. Mas mesmo assim a placa mal conseguiu bater as TNT2, para não dizer da Geforce. O sucessor da Geforce 256 foi lançado pela NVIDIA, a Gforce 2 GTS. A GTS era mais que uma versão overclock da Geforce 256, ela dobrou o rate de preencher os pixels. Surpreendentemente, quando a Geforce2 GTS estava começando a chegar nas lojas, a NVIDIA lançou a Geforce 2 MX. Essa placa fez rate de preenchimento de pixel descer para 350 megapixels por segundo – uma mudança que era grande demais. Porém, dois novos recursos foram adicionados na Geforce 2 MX para diminuir perdas de performance. Um desses recursos foi o Twinview onde era possível usar dois monitores. E o mais importante da Geforce 2 MX foi adicionar essas placas para Apple Macintosh. E depois o Macintosh começou usar as placas da NVIDIA e assim aumentando a popularidade, bolso e tudo mais da NVIDIA.
E como a 3dfx havia sido eliminada da corrida só sobraram a ATI e a NVIDIA que continuaram sem parar a guerra entre placas de vídeo, um lançamento atrás do outro. As placas lançadas durante esse período eram significantemente mais rápidas que seus antecessores. Os gamers não esperavam mais nada de realmente bom até que a NVIDIA anunciou seu “Cinematic Gaming Experience” que viria com sua próxima geração de placas aceleradoras. Durante esse tempo a NVIDIA estava ocupada com o XBOX, que sem sombra de dúvidas influenciou a direção de projetos de novos chipsets, com o codinome de NV30.
  Clique para maximizar
A NV30 tinha 128MB de memória DDR2 e 13- mícron Chip Design, antes da .15 micron chip design que a ATI usou na sua 9700.
A ATI, começou a ser os competidores que eles realmente são, responderam com a Radeon 9700 Pro na mesma época que a NVIDIA lançou a séria FX de placas aceleradoras. Quando a nova Radeon chegou as lojas, as pessoas ficaram abaladas – era a melhor placa que já havia chego no mercado por um bom tempo. Ai você poderia se perguntar, mas não era a GeforceFX a melhor de sua época? Bem a ATI conseguiu superar a Gforce FX com esse super lançamento
ATI teve uma ascensão com o lançamento da 9700, e isso se estendeu com o lançamento da 9800. Até hoje a ATI é considerada como a fabricante das melhores placas de aceleração para computadores, mas a briga continua até hoje e a NVIDIA não fica para trás. Esse jogo pode virar a qualquer momento. Realmente o futuro é incerto, em uma corrida sempre existe um vencedor, e as vezes a corrida dura muitos anos, décadas?




voltar





Nome:

e-mail:

Assunto:

Mensagem:



Museu do Computador

NASINDIQUE

Seu Nome

Seu E-mail

Nome do Amigo

E-mail do Amigo